Novembro azul: prevenção ao câncer de próstata

Compartilhe essa matéria:

Novembro azul

O mês de novembro chegou e com ele o movimento mundial de prevenção ao câncer de próstata, o Novembro Azul. Afinal, entre os homens brasileiros, esse é o segundo tipo mais comum de câncer, perdendo apenas para o câncer de pele. Porém, com um diagnóstico precoce, as chances de sucesso no tratamento são grandes.

 

Na fase inicial da doença, os sintomas são inexistentes ou raros, o que retarda a sua detecção. Quando os sintomas começam a aparecer, costumam indicar um estágio mais avançado do câncer e incluem dores ao urinar, necessidade de urinar com frequência, presença de sangue na urina e dor óssea na região das costas.

 

Para analisar alterações, pode ser feito o exame de sangue PSA (Antígeno Prostático Específico) e o exame de toque retal. Contudo, para confirmar a suspeita de câncer, geralmente é realizada biópsia da próstata, com a retirada de fragmentos para avaliação.

 

Novembro azul
Novembro azul

Como se prevenir contra o câncer de próstata

 

Alguns fatores de risco devem ser considerados, pois aumentam as chances de se desenvolver a doença. Por isso, homens negros, obesos ou com histórico familiar de câncer de próstata devem ir ao urologista a partir dos 45 anos. Para os que não têm essas características, a idade ideal para o início dos exames é de 50 anos. Além disso, os exames devem ser feitos anualmente.

 

O diagnóstico precoce é muito importante para um tratamento eficaz, pois quanto antes for detectada a doença, melhor. No entanto, os exames apenas identificam a necessidade de intervenção médica. Para, de fato, prevenir que o câncer tenha início, alguns hábitos são recomendados:

 

  • Fazer exercícios físicos regularmente.
  • Ter uma dieta rica em vegetais e pobre em gordura.
  • Evitar cigarro e bebidas alcoólicas.
  • Manter um peso adequado.
  • Tratar diabetes, hipertensão e colesterol alto.

 

O Novembro Azul ainda incentiva os homens a cuidarem da saúde em geral, principalmente quanto à prevenção de doenças.


Compartilhe essa matéria:
Ionnara Lima

Ionnara Lima

Jornalista pela Universidade Federal do Tocantins e produtora de conteúdos para sites/redes sociais.