“Encontro de Libras e Surdez de Maricá” marca o Dia Nacional do Surdo

Compartilhe essa matéria:

“Encontro de Libras e Surdez de Maricá” – Segundo encontro promovido pela Prefeitura

Na última quinta-feira, dia 26/09, foi comemorado o “Dia Nacional do Surdo”. Desta maneira, a Prefeitura de Maricá, através da Secretaria de Educação, realizou o segundo “Encontro de Libras e Surdez de Maricá”, na E. M. Carlos Magno Legentil de Mattos, no Centro.

Assim, o encontro, com a finalidade de dar visibilidade à comunidade surda e promover a inclusão, teve a participação de 40 pessoas. Então, dentre esses participantes estavam professores e alunos da rede, além de representantes comunidade.

De acordo com Ellen de Azevedo, gerente de inclusão educacional da rede municipal de educação, por se tratar da comemoração pelo dia do surdo, esse segundo encontro foi aberto e direcionado à toda população.

Ainda segundo Ellen, as escolas abordaram a questão da surdez nas últimas duas semanas. Além de promoverem eventos em Libras, realizaram também contação de histórias. E, no dia do encontro, tiveram a fala de uma instrutora de Libras. Ela é surda e atua na rede acompanhando seus alunos surdos. Ellen aproveitou a oportunidade e mencionou a importância desse encontro.

“Esse é um trabalho contínuo, pois entendemos e enxergamos a necessidade de fazer de Maricá uma cidade verdadeiramente inclusiva e, para isso, precisamos que mais pessoas conheçam e se comuniquem em Libras”.

Foto: Clarildo Menezes
Visibilidade à Libras e Inclusão do Surdo

Segundo Gilvana Amorim Pinna, instrutora de Libras da rede e palestrante do encontro, por haver ainda muita falta de conhecimento sobre a pessoa surda e sobre libras, é necessário a realização de encontros assim; com ações voltadas para toda a comunidade.

“As escolas da rede municipal de Maricá realizam um trabalho muito bonito e importante voltado para os alunos surdos com a presença de intérpretes de Libras, do qual faço parte, mas é primordial levar isso para fora das escolas e para além das famílias dos surdos”.

Ainda de acordo com Gilvana, o município está no caminho certo ao desenvolver ações de inclusão do surdo na sociedade.

“Estou achando toda essa iniciativa maravilhosa. É preciso manter esse modelo de inclusão nas escolas e esse é o caminho. Hoje vou falar um pouco da minha trajetória como pessoa surda; a importância da Libras e aceitação familiar; o uso da língua de sinais e identidade surda; além de outros temas importantes e espero que todos saiam daqui um pouco mais conhecedores e multiplicadores da identidade, da cultura surda e da Libras”.

Desta maneira, quem também gostou da realização desse encontro foi a Laís Reis, de 23 anos, moradora de Ponta Negra. Pois, além de dar autonomia, ela acredita que ações como esta dá visibilidade a Libras e facilita a comunicação.

“Nasci surda e posso afirmar que antes não tínhamos esse cuidado e essa visibilidade que hoje temos em Maricá. Muita coisa boa tem sido feita, mas ainda há outras que podem ser pensadas. Entre elas, a presença de interpretes de Libras nos postos de saúde e hospitais da cidade”.

 

Enfim, veja também: Pessoa com Deficiência e o seu Dia Nacional de Luta


Compartilhe essa matéria:
Meire Camargo

Meire Camargo

Bacharel em Comunicação Social, habilitação em Jornalismo. Especialista em Telejornalismo.